Pages Menu
Categories Menu

Atenção: todos os textos deste blog são de autoria de Cintia Amorim, estando devidamente registrados. É proibida a reprodução para fins comerciais sem a autorização escrita da autora. As violações serão tratadas por vias judiciais.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS – Entrevista com Rute Besserra

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS – Entrevista com Rute Besserra

0 Flares 0 Flares ×

Estou muito feliz com mais essa entrevista para o blog. Dessa vez a convidada é Rute Beserra, uma fantástica contadora de histórias de São Paulo. Rute é uma educadora com garra, coragem e muito amor pelo que faz.

Gostei demais da entrevista e das dicas que ela passou para quem deseja ser também um contador de histórias. Eu, pessoalmente, acredito que sempre vale a pena acreditar nos nossos sonhos, e fazer algo a respeito. E foi isso que a Rute fez.

Confira essa entrevista:

<

1. Você poderia fazer uma breve apresentação de quem você é, e de sua trajetória em relação a contação de histórias?

Olá o meu nome é Rute Beserra. Sou Pedagoga especializada em Alfabetização de adultos e criança. Contadora de histórias de Literatura Infanto Juvenil. Pós-graduada no curso: Práticas eVertentes do Ensino Aprendizagem da Língua Portuguesa e da Literatura

A contação de histórias surgiu em minha vida através de uma grande amiga, da faculdade de Pedagogia, Alzira Pelaiz ela contava história como ninguém, apaixonei-me da maneira a qual contava, com toques e cuidados ao apresentar uma história.

Sempre gostei de ler livros de literatura infanto-juvenil, todas as histórias que lia recontava às crianças da educação infantil.

Na época era professora de educação infantil, cursava o curso de Pedagogia. Contar histórias é uma experiência de interação. Constitui um relacionamento cordial entre a pessoa que conta e as que ouvem.

Para melhor me aprimorar, nesse mundo mágico das histórias, eufiz um curso no SENAC=Curso de aperfeiçoamento de Contador de  História.(2010).

Curso :Brincando e contando com a Literatura Infantil na Leisureand Recreations S/C Ltda

Congresso Educação Saber – Contar histórias para encantar ou encantoar (2006)

Workshop de Contação de História”O corpo e a voz na hora de contar ”- Com o grupo tricotando palavras’(2011).

Escola de narração de itinerante by Clara Haddad- A arte de contar histórias-janeiro de 2015. Sempre estou lendo e reciclando com cursos e workshop para melhor me aperfeiçoar nesse mundo encantado.

 

2. Na sua opinião, quais são os principais desafios de um contador de histórias? É possível encarar essa atividade profissionalmente?

Existem instituições que querem o trabalho, mas enrolam para pagar e outras acham que quem vive de arte vive de brisa, que não tem família ou contas para pagar. Como todo cidadão pagamos impostos e impostos.

Sim é possível encarar essa atividade profissionalmente, desde que se dedique a ela, lendo muito, pesquisando e fazendo cursos.

 

 

3. Você poderia contar sobre um momento de superação grande que você teve de enfrentar, qual foi o desafio e como você conseguiu ultrapassá-lo em sua jornada de contadora de histórias?

Trabalhava como coordenadora em uma escola durante a semana, no final de semana, contava histórias em livrarias, bibliotecas, festas de aniversários, dava palestras ,participava de festivais de contadores de histórias.

Estava super cansada com essa rotina. Em outubro do ano passado (2014), joguei tudo para alto, pedindo a direção da creche que me mandasse embora com os meus 8 anos de direitos da casa.

Eu iria sobreviver, e viver de contação de histórias. Não foi fácil tomar essa decisão, apesar de solteira e morar com os meus pais, como todo mundo, tenho minhas contas para pagar. Mas confesso que foi a melhor coisa que fiz. Vivo muito feliz com a profissão que tenho.

4. Você poderia citar 2 ou 3 erros que quem está iniciando neste ramo normalmente comete, e nos quais você poderia alertá-los para evitarem isto?

Todos contam história, a única diferença é que todo contador de história, conta história com a alma.

Muito importante aprender com o outro contador de histórias, observar, respeitar, e liberta-se de modelos. Cada contador tem sua essência, não precisa ser copiado.

Proibido esquecer de creditar a história que vai ser contada, jamais apagar as fontes.

5. Você poderia falar um pouco dos resultados que este trabalho de contação de histórias lhe trouxeram, e como é sua vida hoje X como era antes?

Como disse em uma das respostas acima, hoje eu vivo e sobrevivo de contação de histórias. Tenho um assessor que agenda minhas contações, palestras, cursos, agendas de contações etc…

Contrato, com Bilbioteca, editoras, parceria com a Livraria da Vila , trabalho em duas escolas particulares , contando histórias para as crianças de educação infantil. Tenho um contador que visualiza  contratos, notas fiscais,.etc…etc…

A minha semana  hoje  com as contações  começa na quarta-feira.

O meu carro é cheio de cenários, baú, fantoches e fantasias. É mundo que eu respiro e vivo,  confesso… amo estar em voltas com crianças, seja  na área pediátrica, asilos , orfanatos. Cada dia, procuro me aperfeiçoar mais nesse mundo encantado.

Antes minha semana começava na segunda-feira, como coordenadora pedagógica de uma creche , muito pepino com pais, professores, diretores, etc…  para resolver. Eu vivia estressada.

6. Se você pudesse dar uma única melhor recomendação sua para quem está começando, ou pensando em começar nesse ramo, e que vai fazer toda a diferença, qual seria ?

Todo contador de história tem que saber um pouco de Literatura, não adianta apresentar uma história sem saber  quem eram os irmãos Grim. Conhecer literatura infantil edifica, o trabalho do narrador oral.

7. Cite um momento mágico, que fez você pensar: vale a pena todo o esforço.

Ao terminar de contar uma história em uma instituição filantrópica o garotinho, me abraçou e disse: Obrigado por você ter vindo!

O que dizer? Momentos assim, me fazem entender que, como contadora de história passo alegria, imaginação e encantamento com as histórias

8. Algum pensamento final ou próximos passos para a nossa audiência?

Contar uma história, é dar um presente de amor” (Lewis Carrol) .

Dia 14, 15 de agosto estará no Brasil o contador de histórias de Costa Rica, Jeff Hernandez Castro nos prestigiando com sua presença e dando curso e oficina de contação de história, vale a pena divulgar.

Saiba mais aqui

9. Onde os leitores do blog podem saber mais sobre você e como você pode ajudá-los com os seus esforços nesse ramo?

Eu não tenho página no Face, apesar de que muitos me cobrem muito para fazê-lo. Confesso que é uma das ferramentas para divulgar meu trabalho,mas não sinto vontade em tê-lo. Quem sabe mais pra frente.

As pessoas podem conhecer um pouco mais sobre o meu trabalho no meu blog www.rute-rute.blogspot.com.br.

Toda quarta-feira eu respondo blog ( Literatura Infantil).

Sobre dúvidas, indicaçõesde livros, cursos e oficinas, etc…Tudo referente a  Contação de histórias, é só enviar  e-mail   com suas dúvidas para:

rutesb@gmail.com

Agradeço a Cintia Amorim pela entrevista e a oportunidade de falar um pouco sobre o meu trabalho.

GrANDE BeIjo  a todos! 😉

 

Rute, eu é que agradeço sua gentileza em nos conceder essa entrevista. Que seu trabalho prospere  cada dia mais.

E, você? Gostou de conhecer um pouco sobre a Rute Beserra? O blog dela é um amor, recomendo a visita.

Eu gostaria muito de ler sua opinião e seu comentário logo abaixo.

um grande abraço,

Cintia Amorim.

 

 

 

Você vai gostar também:

4 Comments

    • Eu é que agradeço sua gentileza. Sucesso!

  1. Meus parabéns pela entrevista. A rute é uma preciosa contadora e tem toda a minha admiração. Beijos.

    • Que bom que gostou Laiza. Espero que seja um incentivo a todos que gostam dessa arte. Obrigada!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×