Pages Menu
Categories Menu

Atenção: todos os textos deste blog são de autoria de Cintia Amorim, estando devidamente registrados. É proibida a reprodução para fins comerciais sem a autorização escrita da autora. As violações serão tratadas por vias judiciais.

Os mais loucos trava-línguas da internet (trava lingua com p e muito mais)….

Os mais loucos trava-línguas da internet (trava lingua com p e muito mais)….

0 Flares 0 Flares ×

Fiz uma seleção de vários trava-línguas inéditos, trava lingua com p, trava-língua fácil, difícil e muito mais. Espero que você se divirta bastante.

*****************

Sobrou salsão, salmão, sabão e confusão no chão do salão.

<

Pinga  tinta na vasilha vazia, a tinta pinga e pinta a pia da tia Tita.

O chão sujo cheio de cinza suja.

A mola mole molhada molda a mala de mão da mamãe.

Tota troca a bota torta e trota até a toca.

Setecentos testes testificam setenta teses.

Na blusa,  a lua.  Na lua, a luva.  Na luva a uva.

Na tina de Tita tinha tinta. Tita pinta a tina com tinta cinza.

Tudo que Tulio toca, toca todos.

A falta de foco da foca fê-la fincar a faca na fossa.

Pereira pegava pregos retos dos restos da porta torta.

Bartira batia na bateria da banda de bata, bota, batom e boné.

Trinta e três  trapos cheios de tanta traça traquina.

Meia medida de melado e  mel mela muito mais que melões e melancias maduras.

A porta torta da oca faz a porca pisar a horta.

O vira latas do lote ao lado late e bate a pata na bota.

O shopping Show do Sul lançou o super xampu de chuchu e soja que suga qualquer sujeira.

Trava lingua com p curto

O prato  Prata da pata prática.

A pata prata da prática pata de Praga .

Os povos de Pindamonhangaba,  Paraty,  Pirassununga,  Pirapora e Paraopeba são praticamente parentes do povo de  Portugal.

Conheça  outros trava-línguas do blog

Um pouco de trava lingua curto

O chilique de Chiquinha suja o chão.

No Lago o nado do pato sem rabo.

Prato de pato  assado passado na pasta de passas.

Saci suja o sagui com caqui. O sagui suja  de xixi o saci.

Santos são super sabidos.

O produtor com pouco porco tem pouco produto.

Tico taca tabaco na tocha e Teco toca o taco no teto.

 

Cada casa de cada quadra tem quatro quartos de quatro por quatro.

Os castanhos  cachos castos  de Castro escondem um caracol.

Amélia lançou na janela a panela,  a gamela, e a tigela.

Os carros caros de Carlos são claros.

Para Lívio ,  luxo é  lixo, e livro é luxo. Para Lívia,  livro é lixo e o lixo de Lívio é luxo.

A calça cáqui de Cátia caiu na caixa de caqui.

Beto bota a bota e bate a bola na boa boia de Bia.

Bia na pia, via a bolha brotar na borda da boca.

A traça traga tudo. Tudo traga a traça. Tudo estraga a traça sem graça. Traga a traça aqui que eu estrago esta praga de traça.

Triste Tristão trazia tributos ao tirano de atrapalhados atributos.

Quatro quartos quadrados a quatorze quadras da quaresmeira e quarenta do quartel.

As datas dos dados na tela estavam atrasadas.

Todo tonto toma tombos todo tempo.

Trava linguas longos

Meire mexe melado de mel e melancia. Meire  mexe melado sem melancolia.  Meire mete mexerica e melão  sem medo  e mede meia    medida de mel. O melado da Meire é  mesmo melhor qué a média.  O melado da Meire é o melhor do mercado.

Sandro saiu sossegado assobiando samba e salsa. Sabia que Samanta e Silvia sabiam do sabiá de Sara. Sandro só não sabia que o sabiá de Sara se soltara sorrateiro,  sabendo que Samanta e Silvia sonhavam no sofá. A sábia sogra de Sandro, senhora séria, sabendo do sono de Sara e Samanta segurou o serelepe  sabiá,  salvando o sossego de Sandro.  O sabido sabiá e a sábia sogra de Sandro sorriram.  Sara e Samanta sonhavam. O sapeca sabiá sabia que o sossego de Sandro era sua sábia sogra.

Dia a dia, diante de difíceis dados, Duda dava demonstrações de desespero. Doida, despenteava-se e dava dentadas dolorosas  no dedão. Duda, doida e doída, desistu e deixou os difíceis dados didaticamente  digitados, desejosa de um doido mais determinado que os decifrassem.

 

A aranha arranha a arara.  A arara  arranha a arirana. A ariranha arranha a  aranha.  A arara arranha a aranha. Todo mundo se arranha.

O gato no mato. O pato no mato. O rato no mato. O trato de Paco e o  gato, o pato e o rato no prato.

O gato roeu o rabo do  raro rato roedor de roupas reais.

A vaca rara ria, a paca rara ria, a pata rara ria, a rata rara ria, a gata rara ria,  a arara rara ria da rara  aranha.

Tatiana tateava todos os trezentos ternos de Téo, tentando tatear o texto deixado pra trás.

Noventa e nove novatos na nova novela nobre  da noite.

Trava lingua com P

Poucas porcas,  poucos potros, poucos polvos, parcas pacas, parcas patas parvas.

Pucca,  a pulga, pula a puma, a pluma da Pumba,  pula o punhal e um punhado de pratos pretos empilhados na porta.

Pilar  prensa  pimenta no pilão. Plínio prova o pó  de pimenta picante da prima Pilar e aprova. Plínio  provoca Paulo que prefere não provar a pimenta picante  de Pilar.

Pata Patavina e a pata Patética,  apaixonadas pelo Pato Patola,  se aprontavam  feito duas peruas patricinhas, com perucas, pedras preciosas e pomposos  pingentes de  pérolas.

Percival Prestes precisava dos pregos pretos e pregos prata de Pedro  para pregar a prateleira no pátio da prefeitura.

Protestos provocados pelos profundos problemas de precárias políticas públicas, provocaram pânico e prisões com a presença da Polícia.

A pedra preta  preciosa que Pedro pegou na pedreira perdida.

Purê puro de passas com pães pretos e perdizes preparadas com pimenta polinésia,  é  o prato preferido do prefeito Prestes Pedroso.

O profícuo  professor  protético, de protuberante prestígio,  professou profunda preocupação pela proliferaçao  dos problemas dos profissionais  perfeccionistas processados por proteger prolixos  procedimentos profiláticos.

Pratos pratas peruanos e potes pretos preciosos , procurados por piratas principiantes, perderam-se.

Pintores pintam pinhas pingando pigmentos primários.  Pintam e pingam.  Pintam e pingam  pigmentos os pintores de pinhas.

Poucas e pesadas panelas de pressão pintadas presas no pé de pitanga inspiram o pintor.

Repita cada trava lingua destes  três vezes:

  1. O cabelo do tolo touro era louro.
  2. O tato de Teco toca o teto / O taco de Teco toca o teto.
  3. O cão via a latinha e latia.
  4. Tuca,  a pulga lusa maluca de Luca, usava luva.
  5. Pigmentos de pimenta pintam pigmeus.

 

E aí, qual trava lingua com p ou outros você achou mais difícil? Deixe um comentário abaixo. E se você gosta e se diverte com trava linguas, confira estes outros do blog .

Trava-línguas com R

Trava-línguas com J

Considere  também compartilhar este artigo. Basta clicar  nos ícones das redes sociais abaixo.

 

 

um grande abraço,

Cintia Amorim

 

imagem: freepik.com

Artigo
Em
Classificação
51star1star1star1star1star

2 Comments

    • Realmente este é bastante difícil. Obrigada.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×